Viciou no smartphone? Conheça os sintomas e 8 dicas para reduzir o uso

O uso crescente da tecnologia digital pode ter um efeito intenso sobre a dificuldade de concentração, a agitação e a inquietação, de acordo com um estudo feito por pesquisadores da Universidade da Virgínia, nos Estados Unidos, e da Universidade British Columbia, no Canadá. O trabalho foi apresentado recentemente em uma conferência sobre a interação entre humanos e computadores.

“Com a internet nos bolsos, hoje as pessoas são bombardeadas com avisos de e-mail, mensagens de texto, mídias sociais ou aplicativos de notícias. Nós estamos procurando entender melhor o impacto desse fluxo constante de notificações nas nossas mentes”, disse Kostadin Kushlev, especialista em ciência cognitiva e pesquisador na área de psicologia da Universidade da Virgínia, que coordenou o estudo.

1

A onipresença do smartphone
Confira o tempo que o smartphone pode ocupar na sua vida, segundo dados reunidos pelo pesquisador Kosetadin Kushlev, da Universidade da Virgínia (EUA)
Mais de 95% dos usuários de smartphones usaram seus telefones durante encontros sociais
7 em cada 10 usaram seus telefones durante o trabalho
1 em cada 10 admitiu verificar o telefone durante o sexo
Quem tem smartphone gasta quase 2 horas por dia checando o telefone

A pesquisa teve duas semanas de duração e envolveu 221 estudantes da universidade canadense. Na primeira etapa, eles foram orientados a manter o toque sonoro e o modo vibrar acionados. Além disso, deveriam manter também os alertas e notificações acionados e o smartphone ao alcance da mão. Na semana seguinte, seguiram proceder de maneira contrária para minimizar as interrupções produzidas pelo telefone, mantendo o telefone no modo silencioso, os alertas desligados e os aparelhos à distância. No final de cada fase, os participantes responderam questionários sobre a sua percepção quanto ao impacto sobre a atenção e concentração.

Os resultados do estudo mostraram que eles apresentaram níveis significativamente mais elevados de desatenção quando os alertas foram ligados. Segundo os pesquisadores, os dados obtidos a partir desse trabalho mostram, pela primeira vez, que, dependendo do modo como são usados,os smartphones realmente podem se tornar uma fonte rápida e fácil de distração.

Os dados obtidos sugerem que a estimulação digital constante pode estar contribuindo para um déficit cada vez mais problemático das atenções na sociedade moderna.
As pessoas podem experimentar sintomas como distração, dificuldade em se concentrar e ficar entediadas facilmente ao tentar se concentrar, agitação, inquietação e dificuldade para ficar sentado, para fazer tarefas e atividades tranquilas”, disse Kostadin Kuschev, da Universidade da Virgínia (EUA).

Em sua análise, Kostadin Kushlev disse ainda que os sintomas manifestados pelos estudantes que mantiveram os alertas dos smartphones ativados também estão presentes no transtorno de deficit de atenção e hiperatividade (TDHA). No entanto, o grupo de investigadores faz questão de reforçar que as suas descobertas não sugerem, de maneira alguma, que os smartphones possam causar o transtorno de deficit de atenção e hiperatividade, que é um distúrbio neurológico complexo. E tampouco que a redução das notificações dos smartphones possa tratar a doença.

“O mais importante: descobrimos que as pessoas podem reduzir os efeitos nocivos dessa estimulação por smartphones simplesmente por manter seus telefones em modo silencioso e fora de fácil acesso, sempre que possível, mantendo assim as notificações na baía”, disse o especialista.

 7 dicas para se livrar do vício em smartphones

Estudo mostra que as interrupções frequentes causadas pelas chamadas e notificações prejudicam a atenção e a concentração. Mas há meios de reduzir os danos mudando algumas atitudes

O uso crescente da tecnologia digital pode ter um efeito intenso sobre a dificuldade de concentração, a agitação e a inquietação, de acordo com um estudo feito por pesquisadores da Universidade da Virgínia, nos Estados Unidos, e da Universidade British Columbia, no Canadá. O trabalho foi apresentado recentemente em uma conferência sobre a interação entre humanos e computadores.“Com a internet nos bolsos, hoje as pessoas são bombardeadas com avisos de e-mail, mensagens de texto, mídias sociais ou aplicativos de notícias. Nós estamos procurando entender melhor o impacto desse fluxo constante de notificações nas nossas mentes”, disse Kostadin Kushlev, especialista em ciência cognitiva e pesquisador na área de psicologia da Universidade da Virgínia, que coordenou o estudo.

vicio_em_telefone

A onipresença do smartphone
Confira o tempo que o smartphone pode ocupar na sua vida, segundo dados reunidos pelo pesquisador Kosetadin Kushlev, da Universidade da Virgínia (EUA)
Mais de 95% dos usuários de smartphones usaram seus telefones durante encontros sociais
7 em cada 10 usaram seus telefones durante o trabalho
1 em cada 10 admitiu verificar o telefone durante o sexo
Quem tem smartphone gasta quase 2 horas por dia checando o telefone

A pesquisa teve duas semanas de duração e envolveu 221 estudantes da universidade canadense. Na primeira etapa, eles foram orientados a manter o toque sonoro e o modo vibrar acionados. Além disso, deveriam manter também os alertas e notificações acionados e o smartphone ao alcance da mão. Na semana seguinte, seguiram  proceder de maneira contrária para minimizar as interrupções produzidas pelo telefone, mantendo o telefone no modo silencioso, os alertas desligados e os aparelhos à distância. No final de cada fase, os participantes responderam questionários sobre a sua percepção quanto ao impacto sobre a atenção e concentração.

Os resultados do estudo mostraram que eles apresentaram níveis significativamente mais elevados de desatenção quando os alertas foram ligados. Segundo os pesquisadores, os dados obtidos a partir desse trabalho mostram, pela primeira vez, que, dependendo do modo como são usados,os smartphones realmente podem se tornar uma fonte rápida e fácil de distração.

“Os dados obtidos sugerem que a estimulação digital constante pode estar contribuindo para um déficit cada vez mais problemático das atenções na sociedade moderna.
As pessoas podem experimentar sintomas como distração, dificuldade em se concentrar e ficar entediadas facilmente ao tentar se concentrar, agitação, inquietação e dificuldade para ficar sentado, para fazer tarefas e atividades tranquilas”, disse Kostadin Kuschev, da Universidade da Virgínia (EUA).

Em sua análise, Kostadin Kushlev disse ainda que os sintomas manifestados pelos estudantes que mantiveram os alertas dos smartphones ativados também estão presentes no transtorno de deficit de atenção e hiperatividade (TDHA). No entanto, o grupo de investigadores faz questão de reforçar que as suas descobertas não sugerem, de maneira alguma, que os smartphones possam causar o transtorno de deficit de atenção e hiperatividade, que é um distúrbio neurológico complexo. E tampouco que a redução das notificações dos smartphones possa tratar a doença.

“O mais importante: descobrimos que as pessoas podem reduzir os efeitos nocivos dessa estimulação por smartphones simplesmente por manter seus telefones em modo silencioso e fora de fácil acesso, sempre que possível, mantendo assim as notificações na baía”, disse o especialista.


Especial: 7 dicas para se livrar do vício em smartphones

É realmente possível manter uma conversa ou deitar na cama sem mexer no celular. Mas é preciso um pouco de disciplina para deixar de ser refém do aparelho

Os smartphones são realmente incríveis. Mas quando a sua avó pede a você, na mesa de jantar, para guardar o celular, talvez seja b0m ouvi-la. O vício em smartphone é algo real. Nós checamos obsessivamente os nossos smartphones quando estamos falando, trabalhando, andando e dirigindo, mesmo quando sabemos que não devemos fazer isso. Apenas não conseguimos evitar! Mas você sabe o que dizem por aí: reconhecer que você tem um problema é o primeiro passo para resolvê-lo. Por isso, parabéns por ler a matéria até aqui.

Abaixo, selecionamos sete dicas que podem ajudar você a controlar o vício em smartphones, resgatar o lugar desse aparelho no mundo real e até sair por aí sem um celular grudado na mão.

Não use o smartphone na cama

Estudos mostram que usar o smartphone na cama não é uma boa ideia. Um dos motivos é que a luz azul da tela   mexe com a produção dos hormônios do sono, levando o seu cérebro a pensar que é dia e não é hora de dormir ainda. Então, o primeiro passo é tornar a sua cama um lugar livre de smartphones. De verdade, pela sua saúde.

Arranje um despertador de verdade

É tentador pegar o seu smartphone logo no começo do dia, especialmente se é ele quem faz você acordar. Acabe com essa tentação comprando um despertador. Outra vantagem é que você ainda diminui o risco de deixar cair o smartphone e quebrar
2

Proponha um desafio a si mesmo: tente almoçar ou jantar com amigos e familiares mantendo a conversa sem o auxílio do smartphone por uma hora ou mais. Sem trapacear! Se alguém mencionar uma imagem engraçada do Face, por exemplo, faça com que a pessoa a descreva com gestos/palavras e/ou papel e caneta.

Desabilite as notificações

Sem notificações = Sem razão para ficar checando o seu smartphone. Na teoria, funciona.

Apague aplicativos desnecessários

A maioria dos aplicativos do seu smartphone estão lá apenas para ocupar espaço, acredite. Outra boa razão para fazer uma limpeza é imaginar a quantidade de tempo que você irá salvar e até se tornar mais produtivo se não tiver que ficar toda hora checando Facebook, Twitter, Instagram, LinkedIn, seis contas de e-mail e o Reddit o tempo todo. Lembre-se do artigo do pesquisador Kostadin Kuschev, que aponta os prejuízos à sua concentração.

Dê atenção para a pessoa que está falando com você

Faça um esforço consciente para manter o smartphone fora das suas mãos durante as conversas na vida real. Foque na pessoa que está com você. Você sentirá que a qualidade do encontro melhora muito.

Tenha um dia livre do smartphone na semana

Uma vez por semana (talvez no final de semana), faça uma loucura e deixe o smartphone em casa. Por um dia inteiro – ou talvez metade de um dia, se estiver começando. Saia! Leia mapas de papel! Dirija sem GPS! O céu é o limite e a sensação poderá ser intensa.

Não sofra privação

O objetivo com estas dicas é combater o vício em smartphones, não parar no tempo. Por isso, você não precisa largar mão totalmente do smartphone e da internet. Na prática, isso não vai funcionar e também não vai ajudar. Provavelmente deixará você mais perdido e pode até causar prejuízos profissionais. Seguramente existe um meio termo e a batalha é encontrá-lo. Afinal, ninguém precisa checar o celular 365 vezes nos 365 dias do ano.

2016-12-13T13:27:31+00:0005/08/2016|
WhatsApp